Borracha Natural

A seringueira é uma planta de origem brasileira, seu nome científico é hevea brasiliensis, porém durante a colonização, os ingleses levaram suas sementes para suas colônias na Ásia, onde a planta se desenvolveu muito bem, e, por isso, atualmente os paises asiáticos são responsáveis por mais de 80% da produção mundial de borracha.

Há aproximadamente 270 anos, a seringueira passou a ser conhecida pelo mundo civilizado por meio dos índios, mas para o mundo comercial não tinha valor, até que Charles Goodyear descobriu, acidentalmente, a vulcanização com enxofre, daí por diante a borracha passou a ser utilizada comercialmente em muitos produtos que fazem parte da vida cotidiana, como luvas cirúrgicas, chupetas, bico de mamadeira, borracha escolar e pneus.

A borracha natural é um produto estratégico, assim como o petróleo e o aço. No mundo todo, a oferta é menor que a demanda e, para os produtores, o preço tende a se manter interessante. Só pode ser substituída, em partes, pela borracha sintética, derivada do petróleo.

1- existem dois tipos de borracha: a natural, extraída da seringueira e a sintética que é derivada do petróleo.

2- em um pneu comercial, o mínimo que tem que se colocar de borracha natural para total segurança do veículo é 30%, os outros 70% é formado por fios de aço e outros agregados mais a borracha sintética.

3- não existe borracha sintética com as mesmas características da borracha natural.

4- a borracha natural é mais resistente ao atrito, temperaturas altas e tem melhor elasticidade, por isso que os pneus de alto desempenho como os de fórmula 1 e os pneus utilizados e em aviões de grande porte são 100% de borracha natural

A cultura da seringueira atende ao tripé da sustentabilidade:

Função Ambiental

* Protege os mananciais, fauna e flora permitindo recomposição de reserva legal em consórcio de seringueira com nativas sendo 500 seringueiras e 850 nativas por hectare;

* Sequestro de 0,5 tonelada de gás carbônico equivalente por planta no período de 15 anos, ou seja, 18 toneladas de CO2 por hectare/ano;

* Emissão evitada de poluição pela diminuição do uso de borracha sintética (derivada do petróleo);

* Aproveitamento da madeira;

Função Social

* Fixação de pessoal no campo (1 emprego direto para cada 6 hectares);

* Distribuição de renda.

Função Econômica

* Contribuição ao comércio exterior dos países produtores;

* Excelente retorno para o investidor;

* Consórcio com outras culturas;

* Valorização da propriedade.